sábado, 24 de janeiro de 2015

Evangelistica

O que significa não se assentar na roda dos escarnecedores?

Postado por  em: O que significa isso?
Muitos crentes fazem uma confusão danada a respeito do real significado da expressão localizada em Salmos 1.1: “Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.”. Para alguns, não se assentar na roda dos escarnecedores equivale a ser isolado de qualquer contato com pessoas que não são crentes. Com esse pensamento rejeitam qualquer convite de proximidade, mantendo o mínimo possível de contato necessário, pois, segundo pensam, qualquer contato com pessoas que não professam a mesma fé seria como se estivessem “assentados na roda dos escarnecedores”.
Pensemos juntos se esse texto no livro de Salmos quer dizer realmente isso:
O que significa não se assentar na roda dos escarnecedores?
(1) Jesus Cristo disse que os crentes são o sal da terra e a luz do mundo (Mt 5.13-14). Seria bem complicado os crentes exercitarem sua influência positiva no mundo sendo totalmente isolados das pessoas que não seguem a Deus, concorda? O próprio Jesus Cristo demonstrou essa realidade, pois teve encontros com os tipos de pessoas mais pecadoras da sociedade de sua época e nem por isso deixou de ser santo. Aliás, Jesus impactou positivamente as pessoas com as quais se encontrou, e é exatamente isso que devemos fazer. Mas como fazer isso ser ter contato com essas pessoas?
(2) Quando o Salmo 1.1 diz para não nos assentarmos na roda dos escarnecedores está dizendo que não devemos imitar a conduta dos pecadores e, claro, não sermos participantes das mesmas obras más que praticam. Também está em foco em Salmos que não devemos nos associar a pessoas que zombam de Deus (escarnecedores). Nesse sentido podemos agora compreender exatamente o comportamento correto de Jesus ao se encontrar com publicanos, prostitutas e outros pecadores, e não se contaminar com os pecados deles. Jesus sabia se impor perante essas pessoas, sendo uma luz para elas ao mesmo tempo em que não era contaminado com as suas práticas pecaminosas.
(3) Infelizmente vemos que hoje em dia muitos crentes copiam o comportamento dos fariseus que também questionavam a Jesus pelo fato de Ele estar em alguns momentos na companhia de pessoas pecadoras: “Os escribas dos fariseus, vendo-o comer em companhia dos pecadores e publicanos, perguntavam aos discípulos dele: Por que come e bebe ele com os publicanos e pecadores?” (Mc 2:16). Enquanto muitos dos crentes de hoje – que deveriam ser o sal e a luz do mundo – se afastam dessas vidas que estão na lama do pecado, o diabo as acolhe e as leva para cada vez mais fundo na perdição. Será que foi isso que Deus nos ensinou a fazer no Salmo 1.1? Evidente que não!
(4) Assim, concluo esse texto dizendo que devemos sim estar na presença de pessoas que precisam conhecer a Deus. Devemos, porém, ser cuidadosos para que não sejamos atraídos por eles às suas obras más e, assim, nos tornar iguais a eles. Lembremos sempre que não somos super heróis. Somos também pecadores, inclinados ao erro. Todo cuidado é pouco, é preciso estar preparado e agir com sabedoria, sempre tendo em mente o que estamos fazendo ali, que é sermos sal e luz para essas pessoas. Jesus orientou seus discípulos a esse respeito: “Eis que eu vos envio como ovelhas para o meio de lobos; sede, portanto, prudentes como as serpentes e símplices como as pombas.” (Mt 10. 16).