quarta-feira, 28 de setembro de 2011

biscoito de polvilho

Evangelistica BISCOITO DE POLVILHO

Todos já estavam notando a diferença no meu comportamento. Eu estava mais alegre, radiante, era impossível não ver minha felicidade! Até a maneira mais carinhosa e afetuosa com a qual vinha tratando a todos
chamava a atenção.

E eu também estava louca para que eles entendessem o que estava
acontecendo comigo. . .

Foi quando resolvi mostrar-lhes um biscoito de polvilho. Segurei-o em
minhas mãos e perguntei-lhes:
-Quem sabe o que é isso?

E todos responderam: -Um biscoito de polvilho!

-E para que serve um biscoito de polvilho?
-Para comermos!

-Muito bem! Como são vendidos os biscoitos de polvilho?
-Embalados em sacos plásticos!

-Onde são cozidos?
-No forno!

- Que beleza vocês sabem tudo sobre biscoito de polvilho...Só mais uma
pergunta: este biscoito que está na minha mão é doce ou salgado?
Houve um breve silêncio e então alguém argumentou:
-Só vamos saber se experimentarmos...
-Pois é isso!

Todos vocês vêm notando em mim uma mudança e tem me perguntado o que anda acontecendo comigo. Até algum tempo atrás eu sabia tudo sobre JESUS o que foi muito bom porque me aproximou dele, mas recentemente entendi que não bastava apenas “saber sobre ELE”, era necessário EXPERIMENTÁ-LO em minha vida. Abri sinceramente incondicionalmente meu coração a ELE.

Pude então realmente sentir o “SABOR” de seu imenso AMOR. “SABOR” ao qual foi impossível não render-me e deliciar-me. De um AMOR QUE TUDO TRANSFORMA, E QUE FAZ TODA A DIFERENÇA, SABOR de “quero sempre mais”, SABOR que vocês também podem conhecer, basta abrir seu coração e querer
experimentá-lo!!!

o cachorrinho manco

Evangelistica Cachorrinho Manco
Essa historinha nos transmite algumas lições, mas talvez a
principal delas é que as pessoas não aparecem umas nas vidas das outras por acaso, e sim porque unidas elas serão muito mais fortes.

Cachorrinho Manco

Diante de uma vitrine atrativa, um menino pergunta o preço dos filhotes
a venda.
- Entre 30 e 50 reais, respondeu o dono da loja.
O menino puxou uns trocados do bolso e disse:
- Eu só tenho 3 reais, mas eu posso ver os filhotes?
O dono da loja sorriu e chamou Toy, que veio correndo, seguido de cinco bolinhas de pelo. Um dos cachorrinhos vinha mais atrás, mancando de forma visível.

Imediatamente o menino apontou aquele cachorrinho e perguntou:
- O que é que ha com ele?
O dono da loja explicou que o veterinário tinha examinado e descoberto
que ele tinha um problema na junta do quadril, sempre mancaria e andaria devagar.

O menino se animou e disse:
- Muito bem!!! Esse é o cachorrinho que eu quero comprar!
O dono da loja respondeu:
- Não! Você realmente vai querer comprar esse cachorrinho? Se você
realmente quiser ficar com ele, eu lhe dou de presente!
O menino ficou chateado e, olhando para o do dono da loja, e
decepcionado disse:

- Eu não quero que você o de para mim. Aquele cachorrinho vale tanto
quanto qualquer um dos outros, e eu vou pagar tudo que tenho por ele! Na verdade, eu lhe dou 3 reais agora, e 50 centavos por mês, ate completar o preço total dele.
O dono da loja contestou:

- Você não pode querer realmente comprar este cachorrinho. Ele nunca vai poder correr, pular e brincar com você e com os outros cachorrinhos.
Naquele mesmo instante, Carlinhos abaixou-se e puxou a perna esquerda da calca para cima, mostrando a sua perna com um aparelho para andar.
Olhou bem para o dono da loja e respondeu:

- Bom, eu também não corro muito bem e o cachorrinho vai precisar de
alguém que entenda isso.
Naquele mesmo instante o vendedor não disse nada, e silenciou!

Todos temos defeitos, e podemos não ser perfeitos fisicamente. Mas o que
isso importa?, Somos amados, e somos iguais! Jesus pagou o mesmo preço por cada um de nós, dando sua vida na cruz!
Ele te ama, do jeito que você é...És precioso a seus olhos!!!!

A GENTE PODE

Evangelistica A Gente Pode
Esse texto pode quase parecer um jogo de palavras, mas ele diz algumas verdades que não devemos esquecer, para não nos tornarmos pessoas menores do que aquilo que o Senhor sonha para nós.



" A GENTE PODE..

ATÉ MORAR NUMA CASA MAIS OU MENOS,

NUMA RUA MAIS OU MENOS,

NUMA CIDADE MAIS OU MENOS,

E ATÉ TER UM GOVERNO MAIS OU MENOS.



A GENTE PODE...

DORMIR NUMA CAMA MAIS OU MENOS,

COMER UM FEIJÃO MAIS OU MENOS,

TER UM TRANSPORTE MAIS OU MENOS,

E ATÉ SER OBRIGADO A ACREDITAR MAIS OU MENOS NO FUTURO.



A GENTE PODE...

OLHAR EM VOLTA E SENTIR QUE TUDO ESTÁ

MAIS OU MENOS.



TUDO BEM.



O QUE A GENTE NÃO PODE

MESMO, NUNCA, DE JEITO NENHUM,

É AMAR MAIS OU MENOS,

É SONHAR MAIS OU MENOS,

É SER AMIGO MAIS OU MENOS,

É NAMORAR MAIS OU MENOS,

É TER FÉ MAIS OU MENOS,



SENÃO A GENTE CORRE O RISCO DE SE TORNAR UMA PESSOA MAIS OU MENOS."

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

ACREDITAR E AGIR

Evangelistica Acreditar e Agir
Essa historinha nos fala dos dois pilares onde deve estar apoiada a nossa caminhada como pessoas e como cristãos. Se um deles faltar, só com o outro não conseguiremos alcançar o fim para o qual somos criados.



ACREDITAR E AGIR



Um viajante caminhava pelas margens de um grande lago de águas cristalinas, e imaginava uma forma de chegar até o outro lado, onde era seu destino. Suspirou profundamente, enquanto tentava fixar o olhar no horizonte.



A voz de um homem de cabelos brancos quebrou o silêncio momentâneo, oferecendo-se para levá-lo. Era um barqueiro. O pequeno barco envelhecido, no qual a travessia seria realizada, era provido de dois remos de madeira de carvalho.



O viajante então, percebeu que parecia haver letras em cada remo. Ao entrar no barco, observou que eram mesmo duas palavras. Num dos remos estava entalhada a palavra "acreditar" e no outro "agir".



Não podendo conter a curiosidade, perguntou a razão daqueles nomes originais dados aos remos.



O barqueiro pegou o remo, no qual estava escrito acreditar, e remou com toda força. O barco, então, começou a dar voltas sem sair do lugar em que estava.



Em seguida, pegou o remo em que estava escrito agir e remou com todo vigor. Novamente o barco girou em sentido oposto, sem ir adiante.



Finalmente, o velho barqueiro, segurando os dois remos, movimentou-os ao mesmo tempo e o barco, impulsionado por ambos os lados, navegou através das águas do lago, chegando calmamente à outra margem. E então, o barqueiro disse ao viajante:



- Este barco pode ser chamado de autoconfiança. E a margem é a meta à atingir. Para que o barco da autoconfiança navegue seguro e alcance a meta, é preciso que utilizemos os dois remos juntos, e com a mesma intensidade: agir e acreditar.



Não basta apenas acreditar, senão o barco ficará rodando em círculos, é preciso também agir para movimentá-lo na direção à nossa meta. Agir e acreditar. Impulsionar os remos com força e com vontade, superando as ondas e os vendavais e não esquecer que, por vezes, é preciso remar contra a maré.



Se você está passando por um momento “contra a maré”, não se aflija, não aja sozinho para não ficar em círculos, que não te levarão a lugar algum, entregue seu barquinho a Jesus e permita que ele aja.

ACEITA UM PALITO ?

Evangelistica Aceita um palito?


Chegando ao restaurante, enquanto esperava que os pratos fossem servidos, o pai pega um paliteiro, tira um palito e dá-o a uma filha.



Esta, espantada, reage: - Pra que é que eu quero um palito?



- É um presente meu, filha. Aceite-o.



- Não... Obrigada!



Ato contínuo, deu-o ao filho que também ali estava, sendo por ele aceitou com um sorridente, “Muito obrigado papai!.”



Minutos depois, chegou o prato principal. Compondo-o, destacava-se uma vistosa azeitona verde. Calmamente, o pai pede de volta o palito ao filho, espeta-o na azeitona, devolvendo-o em seguida, agora adornado por aquele delicioso petisco.



A filha logo reclama: - E eu, não ganho uma azeitona, não?



- Não! - respondeu o pai com tranqüilidade - Quando lhe dei um palito de presente foi para que, chegando o prato principal, você fosse a primeira a se servir, tirando a azeitona de que tanto gosta. Como não aceitou o presente...



- Mas papai, se eu soubesse...



- É isso, filha, se você soubesse já teria aprendido que presentes dados têm valores visíveis e invisíveis, e só quem sabe recebê-los tem condições de perceber tudo isso... e desfrutá-los com proveito e sabedoria.



Saiba aceitar com generosidade aquilo que Deus te oferece, pois para atingir sonhos, precisamos primeiramente de um “palito”, para que possamos desfrutar a alegria benfazeja que Deus nos reserva.... Seja grato, a tudo que receberes, e assim receberás como recompensa aquilo que tanto esperas....

domingo, 25 de setembro de 2011

A LINGUA

Evangelistica
A língua



Não obstante, pequena e leve a língua é, sem dúvida nenhuma, um dos fatores determinantes no futuro das pessoas.

Quando a língua é ponderada favorece o juízo; quando ela é insensata descortina a imprudência; quando a língua é alegre espalha otimismo; quando é triste semeia desânimo; maledicente ela cava despenhadeiros; gentil ela causa o reconhecimento; serena produz a calma; fervorosa impõe a confiança; quando a língua é descrente evoca a frieza.



Mas, quando a língua é evangelizadora ela traz a paz.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

COMO EXPLICAR A MORTE

Evangelistica Como explicar a morte
Um homem doente virou para seu médico que era muito temente a Deus, que saía da sala de exames, e disse:

- Doutor tenho medo de morrer! Diga-me o que há do outro lado.

Calmamente o médico disse:
- Eu não sei!

O homem disse:
- Você não sabe? Você é um cristão, não sabe o que há do outro lado?

O médico estava segurando a maçaneta da porta; do outro lado escutou-se o som de arranhados e ganidos, e quando abriu, um cachorro entrou porta adentro e pulou sobre ele alegremente.

Virando-se para o paciente, o médico disse:

- Notou o meu cachorro? Ele nunca esteve nesta sala; não sabia o que tinha neste local, apenas sabia que seu dono estava aqui, e quando a porta se abriu, ele entrou sem medo. Não sei quase nada sobre o outro lado da morte, mas, tenho certeza:

“EU SEI QUE MEU SENHOR ESTÁ LÁ E ISSO É SUFICIENTE!”

A nós é necessário somente ter a certeza de que Jesus nos ama profundamente e saber que em tudo Ele toma conta.

A carpa

EvangelisticaA carpa
Esse texto traz em si uma proposta de vida, que podemos compreender
como o verdadeiro sonho de Deus para nós.

“A CARPA”

A carpa japonesa (koi) tem a capacidade natural de crescer de acordo com o tamanho do seu ambiente.

Assim, num pequeno tanque, ela geralmente não passa de cinco ou sete centímetros.

Mas pode atingir três vezes esse tamanho, se colocada num lago.

Da mesma maneira, as pessoas têm a tendência de crescer de acordo com o ambiente que as cerca.

Só que, neste caso, não estamos falando de características físicas, mas de desenvolvimento emocional, espiritual e intelectual. Enquanto a carpa é obrigada, para seu próprio bem, a aceitar os limites do seu mundo, nós estamos livres para estabelecer as fronteiras de nossos sonhos.

Se somos um peixe maior do que o tanque em que fomos criados, em vez de nos adaptarmos a ele, devíamos buscar o oceano, mesmo que a adaptação inicial seja desconfortável e dolorosa.

Pense nisto.

Existe um oceano esperando por você.
Portanto, jamais se acomode. Não aceite limitações, nem dificuldades.
Lute, corajosamente, contra todas as adversidades.
E sentirá a agradável sensação de saber que VOCÊ É CAPAZ, porque Deus o fez assim.

domingo, 18 de setembro de 2011


Evangelistica A balança
Essa historinha é um exemplo, infelizmente, pouco comum no relacionamento entre as pessoas. Mas se formos parar um pouco e refletir, isso está ao alcance de todos nós. Quanto mais seguirmos esse exemplo, mais felizes seremos no nosso relacionamento com os outros.

A BALANÇA

Quando menino eu vivia brigando com meus companheiros de brinquedos. E voltava para casa lamuriando e queixando-me deles. Isto ocorria, na maioria das vezes com Beto, o meu melhor amigo. Um dia, quando corri para casa e procurei mamãe para queixar-me do Beto ela me ouviu e disse o seguinte:

- Vai buscar a sua balança e os blocos.

- Mas, o que tem isso a ver com o Beto?

- Você verá... Vamos fazer uma brincadeira.

Obedeci e trouxe a balança e os blocos. Então ela disse:

- Primeiro vamos colocar neste prato da balança um bloco para representar cada defeito do Beto. Conte-me quais são.

Fui relacionando-os e certo número de blocos foi empilhado daquele lado.

- Você não tem nada mais a dizer? Eu não tinha e ela propôs: - Então você vai, agora, enumerar as qualidades dele. Cada uma delas será um bloco no outro prato da balança.

Eu hesitei, porém ela me animou dizendo:

- Ele não deixa você andar em sua bicicleta? Não reparte o seu doce com você?

Concordei e passei a mencionar o que havia de bom no caráter de meu amiguinho. Ela foi colocando os blocos do outro lado. De repente eu percebi que a balança oscilava. Mas vieram outros e outros blocos em favor do Beto. Dei uma risada e mamãe observou:

- Você gosta do Beto e ficou alegre por verificar que as suas boas qualidades ultrapassam os seus defeitos. Isso sempre acontece, conforme você mesmo vai verificar ao longo de sua vida.

E de fato. Através dos anos aquele pequeno incidente de pesagem tem exercido importante influência sobre meus julgamentos. Antes de criticar uma pessoa, lembro-me daquela balança e comparo seus pontos bons com os maus. E, felizmente, quase sempre há uma vantagem compensadora, o que fortalece em muito a minha confiança.

Muitas vezes julgamos as pessoas simplesmente pela aparência e esquecemos o valor de cada coração. Precisamos deixar que Jesus transforme a nossa vida para enxergamos cada pessoa como filhos de Deus.

A porta


EvangelisticaO que faz o medo
O que faz o medo -

Numa terra em guerra havia um rei que causava espanto, sempre que fazia prisioneiros não os matava, levava-os a uma sala onde havia um grupo de arqueiros de um lado e uma porta de ferro do outro, sobre a qual viam-se gravadas figuras de caveiras.

Nessa sala eles faziam enfileirar-se em círculo e dizia então: “Vocês podem escolher entre morrerem flechados por meus arqueiros ou passarem por aquela porta e por mim serem lá trancados”.

Todos escolheram serem mortos pelos arqueiros. Ao terminar a guerra um soldado que por muito tempo serviu ao rei dirigiu-se ao soberano: “Senhor, posso lhe fazer uma pergunta?”

- Diga soldado!
- O que há por detrás da assustadora porta?
- Vá e veja você mesmo – respondeu o rei.

O soldado então abre vagarosamente a porta e à medida que o faz raios de sol vão adentrando e clareando o ambiente e finalmente descobre surpreso que a porta se abria para um caminho que conduzia a liberdade.

O soldado admirado olha ao rei que diz:
- Eu dava a eles a escolha, mas preferiam morrer a arriscar-se abrir esta porta.

Quantas portas deixamos de abrir pelo medo de se arriscar, quantas vezes perdemos a liberdade e morremos por dentro apenas por sentirmos medo de abrir a porta de nosso coração a Jesus.

caminhos sinuoso


EvangelisticaCaminho Sinuoso


Um certo homem saiu em uma viagem de avião. Era um homem temente a Deus,
e sabia que Deus o protegeria.

Durante a viagem, quando sobrevoavam o mar um dos motores falhou e o
piloto teve que fazer um pouso forçado no oceano.

Quase todos morreram, mas o homem conseguiu agarrar-se a alguma coisa
que o conservasse em cima da água.

Ficou boiando à deriva durante muito tempo até que chegou a uma ilha não
habitada.

Ao chegar à praia, cansado, porém vivo, agradeceu a Deus por este
livramento maravilhoso da morte.

Ele conseguiu se alimentar de peixes e ervas.
Conseguiu derrubar algumas árvores e com muito esforço conseguiu
construir uma casinha para ele.

Não era bem uma casa, mas um abrigo tosco, com paus e folhas. Porém
significava proteção.

Ele ficou todo satisfeito e mais uma vez agradeceu a Deus, porque agora
podia dormir sem medo dos animais selvagens que talvez pudessem existir
na ilha.

Um dia, ele estava pescando e quando terminou, havia apanhado muitos
peixes.

Assim com comida abundante, estava satisfeito com o resultado da pesca.

Porém, ao voltar-se na direção de sua casa, qual tamanha não foi sua
decepção, ao ver sua casa toda incendiada.

Ele se sentou em uma pedra chorando e dizendo em prantos:

"Deus! Como é que o Senhor podia deixar isto acontecer comigo?

O Senhor sabe que eu preciso muito desta casa para poder me abrigar, e o
Senhor deixou minha casa se queimar todinha.

Deus, o Senhor não tem compaixão de mim?"

Pouco depois, vencido pelo cansaço, ele acabou dormindo.

Horas depois, ele acordou assustado, pois, uma mão pousou no seu ombro
e ele ouviu uma voz dizendo:

"Vamos rapaz?"

Ele se virou para ver quem estava falando com ele, e qual não foi sua
surpresa quando viu em sua frente um marinheiro todo fardado e dizendo:

"Vamos rapaz, nós viemos te buscar"

"Mas como é possível? Como vocês souberam que eu estava aqui?"

"Ora, amigo! Vimos os seus sinais de fumaça pedindo socorro.

O capitão ordenou que o navio parasse e me mandou vir lhe buscar naquele
barco ali adiante."

MORAL DA HISTÓRIA

É comum nos sentirmos desencorajados e até mesmo desesperados quando as
coisas vão mal.

Mas Deus age em nosso benefício, mesmo nos momentos de dor e sofrimento.

Lembrem-se:
Se algum dia o seu único abrigo estiver em chamas, esse pode ser o sinal
de fumaça que fará chegar até você a Graça Divina.

"Esperei com paciência no Senhor, e Ele se inclinou para mim e ouviu o
meu clamor" (salmo 40:01).

carpas ,tubarões e golfinhos.

EvangelisticaCarpas, tubarões e golfinhos
Essa história pode nos ajudar muito a refletir sobre como estamos
vivendo a nossa vida e como nos relacionamos com os outros.

Carpas, tubarões e golfinhos vivem nas mesmas águas.


As carpas, com medo da escassez e de serem agredidas, vivem isoladas, escondidas nos cantos. Não se organizam, não se comunicam, não se auxiliam. Sua carne é preciosa, suas escamas e seu sangue são altamente medicinais. Para elas, golfinhos e tubarões são a mesma coisa. Muitas vezes morrem pela escassez. Vivem amedrontadas e infelizes.

Os tubarões andam desordenadamente por todas as águas. Abocanham tudo o que vêem pela frente, às vezes até pedaços de navio ou mesmo um outro tubarão que foi ferido. Para eles, carpas e golfinhos são a mesma coisa. Não são cooperativos, não se comunicam, não se organizam. Apesar de apavorarem, são covardes e facilmente atingidos. Morrem, muitas vezes, pelo excesso de "qualquer coisa" que ingerem desmesuradamente. Passam suas vidas agressivos, desequilibrados e insatisfeitos.

Os golfinhos ocupam todas as águas com graça, alegria, vida. Comem
somente quando têm fome e só os peixes pequenos. São organizados,
cooperativos e se comunicam o tempo todo. Para eles, carpas e tubarões são completamente diferentes. São amáveis, sábios e inteligentes. Somente atacam para defesa própria. São necessários apenas cinco golfinhos para se defenderem de 90 tubarões. Ao se verem ameaçados, se organizam de uma forma que, um grupo distrai alguns tubarões, enquanto um dos golfinhos dá um bote certeiro no peito de um tubarão que, por ter respiração frágil cai no fundo das águas e morre. Ou então, mordem um tubarão, que por sangrar, começa a ser devorado pelos outros tubarões, permitindo com isso que os golfinhos possam escapar. Vivem uma vida longa, saudável e feliz.

Nós, seres humanos, precisamos tomar cuidado com pessoas que se
assemelham a tubarões, devemos evitá-las e não temê-las. Jamais
imitá-las.

Devemos também ajudar as carpas, para que sejam integradas ao mundo.

Mas o mais importante é imitarmos os golfinhos, que são cooperativos, amigos, alegres, ativos, organizados, atentos, observadores, não
gananciosos, comunicativos, criativos, vivendo uma vida tranqüila e
feliz.

A LUZ DA ESPERANÇA

EvangelisticaA Luz da Esperança
Esse texto nos apresenta um verdadeiro programa de vida. Ele nos fala das bênçãos que o Senhor nos concede e nos convida a partilhá-las com os que delas precisam.



“DEIXE ACESSA NO SEU CORAÇÃO A LUZ DA ESPERANÇA”



Pegue seu "SORRISO" e presenteie a quem nunca teve um.



Descubra uma "FONTE" e banhe quem vive na lama.



Use sua "VALENTIA" para dar força e ânimo a quem não sabe lutar.



Tenha "ESPERANÇA" e viva na luz, que vem de Jesus.



Descubra o "AMOR" e passe a conhecer e amar o mundo.



Pegue um "RAIO DE SOL" e faça brilhar onde reina a escuridão.



Pegue uma "LÁGRIMA" e ponha-a no rosto de quem nunca chorou.



Descubra a "VIDA" e ensine-a a quem não sabe entendê-la.



Pegue sua "BONDADE" e dê-a a quem não sabe ser bom.



Muitas vezes o mundo nos quer ver derrotado, encolhido, envolto nos nossos problemas do dia a dia, e assim, leva-nos a crer que somos sós.

Os problemas, muitas vezes, nos vêm como ladrões, levando de nós tudo aquilo que de bom Deus nos dá.



Não permita que a escuridão da solidão invada o seu coração, abra-se a ação do Espírito Santo, que Jesus fará obra nova em sua vida, assim você poderá levar a Luz da Esperança a muitos corações.

A LIÇÂO DA TARTARUGA

EvangelisticaA Lição da tartaruga
A LIÇÃO DA TARTARUGA



Eu percebia que meu comportamento aborrecia muito os meus pais, porém pouco me importava com isso. Desde que obtivesse o que queria, dava-me por satisfeito. Mas, é claro, se eu importunava e agredia as pessoas, estas passavam a tratar-me de igual maneira.



Cresci um pouco e um dia percebi que a situação era desconfortante. Preocupei-me, mas não sabia como me modificar.



O aprendizado aconteceu em um domingo em que fui, com meus pais e meus irmãos, passar o dia no campo. Corremos e brincamos muito até que, para descansar um pouco, dirigi-me à margem do riacho que corria entre um pequeno bosque e os campos. Ali encontrei uma coisa que parecia uma pedra capaz de andar. Era uma tartaruga. Examinei-a com cuidado e quando me aproximei mais, o estranho animal encolheu-se e fechou-se dentro de sua casca. Foi o que bastou. Imediatamente decidi que ela devia sair para fora e, tomando um pedaço de galho, comecei a cutucar os orifícios que haviam na carapaça. Mas os meus esforços resultavam vãos e eu estava ficando, como sempre, impaciente e irritado.



Foi quando meu pai se aproximou de mim. Olhou por um instante o que eu estava fazendo e, em seguida, pondo-se de cócoras junto a mim, disse calmamente:



_ "Meu filho, você está perdendo o seu tempo. Não vai conseguir nada, mesmo que fique um mês cutucando a tartaruga. Não é assim que se faz. Venha comigo e traga o bichinho."



Acompanhei-o. Ele se deteve perto da fogueira acesa e me disse:

_ "Coloque a tartaruga aqui, não muito perto do fogo. Escolha um lugar morno e agradável."



Eu obedeci. Dentro de alguns minutos, sob a ação do leve calor, a tartaruga colocou a cabeça de fora e caminhou tranqüilamente em minha direção. Fiquei muito satisfeito e meu pai tornou a se dirigir a mim, observando:



- "Filho, as pessoas podem ser comparadas às tartarugas. Ao lidar com elas, procure nunca empregar a força. O calor de um coração generoso pode, às vezes, levá-las a fazer exatamente o que queremos, sem que se aborreçam conosco e até, pelo contrário, com satisfação e boa vontade.”



O nosso trato com as pessoas deve ser da mesma maneira que Filhos de Deus. Para que nossas atitudes sejam transformadas é preciso entregar por inteiro nas mãos de Jesus.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

A DECISÂO ESTÀ EM NOSSA MÂOS

Evangelistica,A decisão está em nossas mãos
Hoje podemos nos levantar pensando no que temos pra fazer antes que o relógio marque meia noite.

Que tipo de dia teremos?

Podemos ficar tristes por não ter dinheiro ou nos sentirmos encorajados para administrar nossas finanças, mantendo-nos longe dos desperdícios. Podemos reclamar sobre nossa saúde, ou dar graças a Deus por estarmos vivos.

Podemos nos queixar por nossos pais não terem nos dado tudo, ou sermos gratos a eles por terem permitido que nós nascêssemos. Podemos lamentar decepções com os amigos ou cultivar novas amizades. Podemos reclamar por ter que trabalhar, ou vibrar por ter trabalho que nos mantém ativos e produtivos.

Podemos choramingar por ter que ir à escola ou acolher com entusiasmo a oportunidade para novos conhecimentos. Podemos sentir o tédio do trabalho doméstico ou agradecer por ter um teto.

Podemos olhar para o dia de ontem e lamentar porque as coisas não saíram como planejamos ou alegrarmos por ter hoje para recomeçar. O dia de hoje está aí! Somos os escultores de nossas vidas. A escolha está em nossas mãos!!! Diante disto, vamos viver o amor, o bem e a felicidade! Só com Jesus a teremos!

A ESCALADA

Evangelistica, A escalada

Minhas filhas e eu resolvemos escalar um muro um monte artificial para escaladas. Muro é feito de madeira, com fendas em alguns pontos, como as das rochas, por questões de segurança, o escalador usa um cinto de proteção. O cinto é ligado a uma corda que passa por uma roldana no alto, e depois desce até as mãos de um guia que a segura enquanto o escalador sobe.

Resolvi tentar. O que é um muro de quinze metros para uma pessoa de meia-idade? Fiz um positivo com o dedão para o guia e comecei. Na primeira metade da viagem, fui bem. Mas lá pelo meio, comecei a ficar cansado. Minhas mãos e pés não estão acostumados a escalar. Faltando uns seis metros, comecei a duvidar honestamente que conseguisse. Pensei seriamente em pedir que o guia me içasse para completar o trecho que faltava. Meus dedos estavam machucados, minhas pernas começavam a tremer e eu me arrependia de cada sanduíche que tinha comido, mas a idéia de me render desapareceu nos sorrisos de minhas filhas que já estavam lá em cima.

- Vamos papai, você vai conseguir.

Dei então tudo o que tinha, mas tudo o que tinha não era suficiente, meus pés e minhas mãos escorregaram e eu caí, mas não por muito tempo. Meu instrutor estava firme, segurando a corda.

Ele estava alerta e era forte, então minha queda só durou alguns segundos e eu balançava preso ao cinto, suspenso no ar. Sabe o que eu fiz quando cheguei ao topo?Acha que me vangloriei por ter vencido o muro? Fiz a única coisa certa: disse, obrigado a pessoa que me segurou. Ah! Se todas as minhas quedas fossem tão simples, tão breves, tão inconseqüentes, mas não são, houve ocasiões em que meus dedos escorregaram das próprias rochas da verdade que tenho por tesouros e nem posso dizer quantas vezes eu esperava chegar ao topo e me vi dependurado no ar, seguro por um par de mãos rasgadas pelos cravos.

- Tente de novo – incentiva Ele,- e eu recomeço.

Nós estamos numa grande escalada. O muro é alto e as estacas, mais altas ainda. Você deu o primeiro passo no dia em que deixou Jesus tomar posse da sua vida. Ele lhe deu o cinto de segurança (o Espírito Santo); em suas mãos, Ele colocou uma corda (Sua Palavra).

Seus passos foram confiantes e fortes, mas com a jornada veio o cansaço e com a altura o medo. Você pisou em falso, perdeu o alvo, o controle e caiu. Por um momento que pareceu durar eternamente. Mas então a corda se esticou e você parou de girar.

Ficou pendurado pelo cinto e descobriu que Ele é forte, agarrou-se a corda e descobriu que era de confiança. Olhou para cima e descobriu JESUS segurando a sua alma e seu coração. Mesmo que as dificuldades sejam cruciantes, não desista. Se o mundo vier te oferecendo ou jogando contra você todas as pedras existentes pelo caminho, não desista, olhe ao seu lado e veja Jesus caminhando contigo.

Quando queremos de verdade ouvir Deus, percebemos que Ele nos fala a cada momento de nossas vidas. Essa historinha nos conta um simples episódio humano, mas nele, o seu personagem conseguiu ler nas entrelinhas a amorosa ação da Trindade em sua vida. Certamente, poucos de nós seríamos o personagem dessa historinha, mas podemos compreender que a ação amorosa de Deus ao nosso lado acontece da mesma forma.

A CASA DOS MIL ESPELHOS

EvangelisticaA CASA DOS MIL ESPELHOS

Tempos atrás em um distante e pequeno vilarejo, havia um lugar conhecido como a casa dos 1000 espelhos. Um pequeno e feliz cãozinho soube deste lugar e decidiu visitar. Lá chegando, saltitou feliz escada acima até a entrada da casa.

Olhou através da porta de entrada com suas orelhinhas bem levantadas e a cauda balançando tão rapidamente quanto podia. Para sua grande surpresa, deparou-se com outros 1000 pequenos e felizes cãezinhos, todos com suas caudas balançando tão rapidamente quanto à dele. Abriu um enorme sorriso, e foi correspondido com 1000 enormes sorrisos. Quando saiu da casa, pensou:

- Que lugar maravilhoso! Voltarei sempre, um montão de vezes.

Neste mesmo vilarejo, um outro pequeno cãozinho, que não era tão feliz quanto o primeiro, decidiu visitar a casa. Escalou lentamente as escadas e olhou através da porta. Quando viu 1000 olhares hostis de cães que lhe olhavam fixamente, rosnou e mostrou os dentes e ficou horrorizado ao ver 1000 cães rosnando e mostrando os dentes para ele. Quando saiu, ele pensou:

- Que lugar horrível, nunca mais volto aqui.

Todos os rostos no mundo são espelhos. Que tipo de reflexos você vê nos rostos das pessoas que você encontra? O nosso olhar é a janela do nosso coração, por isso a cada dia devemos deixar que Jesus transforme o nosso ser para sermos o reflexo de Seu Amor e Testemunha viva da ação de Jesus em nós.
A casa dos mil espelhos
Essa historinha parece a princípio simples e ingênua, mas ela reflete uma realidade que às vezes custamos a compreender: vemos as coisas ao nosso redor como um reflexo do nosso estado interior. Portanto, crer que as coisas em nossa vida vão bem ou mal depende principalmente de nós

A CRUZ E A PONTE

EvangelisticaA CRUZ E A PONTE

Certa vez um homem foi visitado pôr um certo anjo do senhor. Este anjo disse a ele: eu vim trazer a sua cruz para que você possa carregá-la na sua jornada. Ele pegou a cruz e seguiu. Quando ele já estava bem adiante de sua jornada, ele encontrou um homem que disse a ele o seguinte: "- como vai, tudo bem? O que você está fazendo com esta cruz aí? Está maluco? Ela deve ser muito pesada. E o outro respondeu: "- não estou maluco não, cada um deve carregar a sua cruz. Mas ela realmente é pesada."

"- então por que você não corta um pedaço do pé da cruz? Vai ficar mais leve."

"- eu não posso fazer isso, é a minha cruz, eu tenho que carregá-la."

"- que besteira, isso é besteira. Corta só um pedacinho, ninguém vai saber. Assim vai ficar mais leve para você carregar." E o homem o convenceu de cortar um pedaço.

"- viu, não ficou mais leve?"

"- é, você tinha razão, só um pouco não vai fazer mal." E ele continuou seguindo sua jornada. Bem mais lá na frente de sua longa caminhada eis que ele encontra novamente aquele homem.

"- como vai? Você continua carregando isso aí? Achei que tivesse desistido."

"- sim, eu continuo carregando a minha cruz."

"- mas ela deve estar muito pesada. Por que você não corta mais um pouco? Vai ficar mais leve."

"- é, pode ser, não doeu nada da outra vez."

"- vamos cortar. Só que vamos cortar um pouco mais pra ela ficar bem mais leve né?"

Ele concordou em cortar e depois seguiu sua jornada.

Muito tempo depois ele avista a cidade maravilhosa, cheia de ouro, pedras preciosas, prata. Era a visão mais maravilhosa que ele já teve em
toda a sua vida. Era tão iluminada que não precisava do sol. Brilhava tanto... Quando sem esperar ele se depara com um abismo e ele não entendeu o porquê do abismo. E tamanho era o desespero que ele começa a gritar e gritar e gritar:

"- socorro, me ajudem, quero atravessar, socorro alguém por favor me ajude, quero entrar na cidade!!!"

Cansado de tanto gritar, ele vê do outro lado do abismo o anjo, aquele
que lhe entregou a cruz. E o anjo pergunta a ele: "- o que você está fazendo aí do outro lado? Por que você ainda não atravessou?"

"- como? Não vê o abismo que nos separa?"

"- sim vejo", respondeu o anjo.

"- então, como que eu vou atravessar?"

"- onde está a ponte que eu te entreguei?"

"- que ponte? Você me entregou uma cruz e ela está comigo."

E o anjo disse: " - então coloque-a no meio do abismo, porque o tamanho dela é exato para que você possa atravessar."

Se sua cruz está pesada demais, talvez você esteja carregando ela sozinho... moDificuldades na caminhada? O peso da vida parece ser bem maior do que as suas forças? A "cruz" parece pesada e inútil? E aqui eu não falo só das dificuldades e problemas inerentes à fé ou ao apostolado. Falo da vida em geral. Como encaramos a "cruz" do dia a dia? Como vemos cada pequena ou grande contrariedade que nos acontece? Será que o nosso colega de escritório merece ser menos aceito do que o nosso colega de trabalho pastoral? Essa historinha, que certamente já é conhecida de muitos, pode reforçar em nós uma forma mais bonita de encarar cada dificuldade que a vida nos oferece.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

A mundança

EvangelisticaA mudança


Certa vez, um homem recebeu a visita de alguns amigos.



- Gostaríamos muito que nos ensinasse aquilo que aprendeu todos esses anos - disse um deles.



- Estou velho - respondeu o homem.



-Velho e sábio - disse um outro - Afinal de contas, sempre te vimos rezando durante todo esse tempo. O que conversas com Deus? Quais são as coisas importantes que devemos pedir?



O homem sorriu.



- No começo, eu tinha o fervor da juventude, que acredita no impossível. Então, eu me ajoelhava diante de Deus e pedia para que me desse forças para mudar a humanidade. Aos poucos, vi que era uma tarefa além das minhas forças. Então comecei a pedir a Deus que me ajudasse a mudar o que estava à minha volta.



- Neste caso, podemos garantir que parte de seu desejo foi atendida - disse um dos amigos - seu exemplo serviu para ajudar muita gente.



- Ajudei muita gente com meu exemplo; mesmo assim, sabia que não era a oração perfeita. Só agora, no final da minha vida, é que entendi o pedido que deveria ter feito desde o início.



-E qual é esse pedido?



- Que eu fosse capaz de mudar a mim mesmo.



Muitas vezes esperamos que a mudança venha de outros ou mesmo de Deus, e esquecemos que a maior mudança inicia-se em nosso coração. Necessitamos ser restaurados por Jesus...

A porta

EvangelisticaAbra a porta


Uma viúva, pobre e necessitada, temendo a visita do proprietário para cobrar o aluguel, mantinha a porta de sua casa trancada. Alguém, de repente, bate à porta, contudo ela não atende. Sem resposta, a pessoa da meia-volta e vai embora.



Era um amigo que sabendo da sua situação e tendo condições de ajudar, trazia o dinheiro para que pudesse pagar sua dívida. Ele veio para dar e não para buscar.



Muitas vezes é assim que agimos com Deus, ficamos tão envoltos com os problemas, nos preocupando apenas com as dificuldades que acabamos colocando uma venda nos olhos e ficamos impedidos de ver Jesus agir em nós. Ele sempre está à porta da nossa vida querendo entrar, mas para que isso aconteça é necessário abrirmos o nosso coração.

“Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo" (Apocalipse 3:20).

A FORMIGUINHA E A FOLHA GRANDE

EvangelisticaA formiguinha e a folha grande
Essa historinha é muito simples e certamente muitos já a viram acontecer na natureza e na vida. É natural e principalmente é cristão que todos nós queiramos fazer algo para servir e ser úteis á comunidade; mas o que acontece quando fazemos questão de realizar uma grande obra bem maior do que nossas forças e tentamos isso sozinhos?



A formiguinha e a folha grande



Observando algumas formigas no jardim aqui de casa, percebi que todas seguiam uma mesma rota carregando folhas maiores que elas mesmas, mas, seguiam firme em direção ao formigueiro que descobri poucos passos adiante, o que para elas deveria representar uma grande viagem.



De repente percebo que uma delas está com uma folha exageradamente grande nas costas, deveria ser pelo menos vinte vezes maior que ela, e seu esforço era notado a distância.



Fiquei ali imaginando a satisfação dessa formiga , carregando aquela folha gigantesca e como ela deveria estar ansiosa em mostrar a formiga rainha como era forte, capaz e quem sabe até ganharia uma promoção.



Enquanto a fila de formigas seguia em direção ao formigueiro, essa formiga girava em volta de si mesma, sem conseguir sair do lugar, seu esforço era tão grande que mal avançava um passo, voltava dois para trás, estava tão cega, tão entretida na sua luta de carregar aquele mundão nas costas que nem percebeu que todas as formigas largaram as folhas para escapar do pé de um menino que vinha correndo atrás de uma bola. As formigas escaparam por pouco, mas nossa amiguinha não teve a mesma sorte, morreu esmagada, agarrada a sua folha gigante.



Assim como a formiga, nós inteligentes e sensíveis, vez em quando queremos carregar mais coisas em nossas costas que podemos suportar, os problemas dos outros, as dores do mundo e a ganância de querer sempre mais, de ser mais e melhor e quando acordamos para a realidade estamos esmagados pelo peso de nossa insensatez.



Precisamos deixar nas mãos de Jesus toda a nossa vida, pois somente assim o nosso fardo se tornará leve, pois Jesus diz: “Vinde a mim, vós todos que estais aflitos sob o fardo, e eu vos aliviarei. Tomai meu jugo sobre vós e recebei minha doutrina, porque eu sou manso e humilde de coração e achareis o repouso para as vossas almas. Porque meu jugo é suave e meu peso é leve.” ( Mateus 11, 28-30)

domingo, 11 de setembro de 2011

A piscina e a cruz


EvangelisticaUm de meus amigos ia toda quinta-feira a noite a uma piscina coberta. Ele sempre via ali um homem que lhe chamava a atenção: ele tinha o costume de correr até a água e molhar só o dedão do pé.

Depois subia no trampolim mais alto e com um esplêndido salto mergulhava na água. Era um excelente nadador. Não era de estranhar, pois, que meu amigo ficasse intrigado

com esse costume de molhar o dedão antes de saltar na água. Um dia tomou coragem e perguntou-lhe a razão daquele hábito. O homem sorriu e respondeu: "Sim, eu tenho um motivo para fazer isso". Há alguns anos, eu era professor de natação de um grupo de homens. Meu trabalho era ensiná-los a nadar e a saltar de trampolim.

Certa noite não conseguia dormir e fui à piscina para nadar um pouco; sendo o professor de natação, eu tinha uma chave para entrar no clube. "Não acendi a luz porque conhecia bem o lugar. A luz da lua brilhava através do teto de vidro. Quando estava sobre o trampolim, vi minha sombra na parede em frente. Com os braços abertos, minha silhueta formava uma magnífica cruz. Em vez de saltar, fiquei ali parado, contemplando aquela imagem."

O professor de natação continuou: "Nesse momento, pensei na cruz de Jesus Cristo e em seu significado. Eu não era um cristão, mas quando criança, aprendi um cântico cujas palavras me vieram a mente e me fizeram recordar que Jesus tinha morrido para nos salvar por meio de seu precioso sangue.

"Não sei quanto tempo fiquei parado sobre o trampolim com os braços estendidos e nem compreendo por que não pulei na água. Finalmente voltei, desci do trampolim e fui até a escada para mergulhar na água. Desci a escada e meus pés tocaram o piso duro e liso... na noite anterior haviam esvaziado a piscina e eu não tinha percebido!"

"Tremi todo e senti um calafrio na espinha. Se eu tivesse saltado, seria meu último salto. Naquela noite, a imagem da cruz na parede salvou a minha vida. Fiquei tão agradecido a Deus - que por me amar permitiu que eu continuasse vivo - que me ajoelhei na beira da piscina. Tomei consciência de que não somente a minha vida física, mas minha alma também precisava ser salva. Para que isso acontecesse, foi necessária outra cruz, aquela na qual Jesus morreu para nos salvar. Ele me salvou quando confessei os meus pecados e me entreguei a Ele."

"Naquela noite fui salvo duas vezes, física e espiritualmente. Agora tenho um corpo sadio, porém o mais importante é que sou eternamente salvo. Talvez agora você compreenda porque eu molho o dedão antes de saltar na água". Há duas formas para viver sua vida:

Uma é acreditar que não existe milagre;

A outra é acreditar que todas as coisas são um milagre.

Albert Eistein.



“Somente com o coração é que enxergamos com clareza.

O essencial é invisível aos olhos" (Saint-Exupery)

papai você pode me dar R$ 10.00


EvangelisticaUm homem chega em casa do trabalho, tarde, cansado e irritado e encontra seu filho de 5 anos esperando por ele na porta.

“Papai, posso lhe fazer uma pergunta?”

“Claro, filho, qual é?”, respondeu o homem.

“Papai, quanto você ganha por hora?”

“Isto não é da sua conta! Por que você quer saber?”, disse o homem com raiva.

“Eu só queria saber. Por favor, diga-me, quanto você ganha por hora?”, implorou o menino.

“Se você precisa saber, eu ganho R$20,00 por hora.”

“Ó”, retrucou o menino, curvando a cabeça. Olhando para cima, disse “Papai, por favor, você pode me emprestar R$10,00?”

O pai estava furioso. “Se a única razão para você saber quanto ganho é para que eu lhe empreste para que compre um brinquedo bobo ou alguma outra tolice, então se dirija para o seu quarto e já para a cama. Pense no quanto você é egoísta. Trabalho duro o dia inteiro e não tenho tempo para esses jogos infantis.”

O menino foi para o seu quarto e fechou a porta. O homem se sentou e começou a ficar mais furioso com o filho. Como ele ousara fazer aquelas perguntas só para conseguir alguns trocados? Depois de uma hora ou um pouco mais, o homem se acalmou e começou a pensar que tinha sido duro com o filho. Talvez fosse alguma coisa que ele realmente estivesse precisando comprar por R$10,00 e, na verdade, ele não costumava pedir dinheiro. O homem dirigiu-se para o quarto do menino e abriu a porta. “Você está dormindo, filho?”, ele perguntou.

“Não, papai, estou acordado”, respondeu o menino.

Estive pensando e acho que fui muito duro com você “, disse o homem. ”Foi um dia cansativo e acabei descontando em você. Aqui estão os R$10,00 que você me pediu.”

O menino sentou-se rápido, radiante.

“Obrigado, papai!”, gritou.

Em seguida, levantando o travesseiro ele pegou um punhado de notas amarrotadas. Ao ver que o menino já tinha algum dinheiro, o homem começou a se irritar de novo. O menino, calmamente, contou o dinheiro e olhou para o pai.

“Por que você quer mais dinheiro?”, resmungou o pai.

“Porque eu ainda não tinha o suficiente, mas agora eu tenho”, replicou o menino. “Papai, agora eu tenho R$20,00. Posso comprar uma hora do seu tempo?”

A raposa e a cegonha.


EvangelisticaA RAPOSA E A CEGONHA



A Raposa convidou a Cegonha para jantar e lhe serviu sopa em um prato raso.



-Você não está gostando de minha sopa? - Perguntou, enquanto a cegonha bicava o líquido sem sucesso.



- Como posso gostar? - A Cegonha respondeu, vendo a Raposa lamber a sopa que lhe pareceu deliciosa.



Dias depois foi à vez da cegonha convidar a Raposa para comer na beira da Lagoa, serviu então a sopa num jarro largo embaixo e estreito em cima.



- Hummmm, deliciosa! - Exclamou a Cegonha, enfiando o comprido bico pelo gargalo - Você não acha?



A Raposa não achava nada nem podia achar, pois seu focinho não passava pelo gargalo estreito do jarro. Tentou mais uma ou duas vezes e se despediu de mau humor, achando que por algum motivo aquilo não era nada engraçado.



MORAL: às vezes recebemos na mesma moeda por tudo aquilo que fazemos. Colhemos sempre aquilo que semeamos. Não devemos fazer aos outros aquilo que não gostaríamos que fosse feito conosco. Precisamos aprender com Jesus e distribuir somente amor.

A raposa e o lenhador

EvangelisticaA Raposa e o Lenhador


Existiu um Lenhador que acordava às 6 da manhã e trabalhava o dia inteiro cortando lenha, e só parava tarde da noite.

Esse lenhador tinha um filho, lindo, de poucos meses e uma raposa, sua amiga, tratada como bicho de estimação e de sua total confiança.

Todos os dias o lenhador ia trabalhar e deixava a raposa cuidando de seu filho. Todas as noites ao retornar do trabalho, a raposa ficava feliz com sua chegada.

Os vizinhos do Lenhador alertavam que a Raposa era um bicho, um animal selvagem; e portando, não era confiável. Quando ela sentisse fome comeria a criança.

O Lenhador sempre retrucando com os vizinhos falava que isso era uma grande bobagem. A raposa era sua amiga e jamais faria isso.

Os vizinhos insistiam:

- "Lenhador abra os olhos ! A Raposa vai comer seu filho."

- "Quando sentir fome, comerá seu filho ! "

Um dia o Lenhador muito exausto do trabalho e muito cansado desses comentários - ao chegar em casa viu a Raposa sorrindo como sempre e sua boca totalmente ensangüentada ...

O Lenhador suou frio e sem pensar duas vezes acertou o machado na cabeça da raposa...

Ao entrar no quarto desesperado, encontrou seu filho no berço dormindo tranqüilamente e ao lado do berço uma cobra morta ...

O Lenhador enterrou o Machado e a Raposa juntos...

Se você confia em alguém, não importa o que os outros pensem a Respeito, siga sempre o seu caminho e não se deixe influenciar, mas principalmente, nunca tome ATITUDES precipitadas, sem antes falar com Deus .

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

jesus na tempestade


EvangelisticaLucas 8 : 23-24 - Enquanto navegavam, ele adormeceu. E sobreveio uma tempestade de vento no lago, correndo eles o perigo de soçobrar. Chegando-se a ele, despertaram-no dizendo: Mestre, Mestre, estamos perecendo! Despertando-se Jesus, repreendeu o vento e a fúria da água. Tudo cessou, e veio a bonança. Amados, louvado seja Deus ! Jesus entrou no barco. Quando você aceitou a Cristo e Deixou que Ele controlasse o leme da sua vida, creia que Ele estará conosco nas maiores tempestades que possamos passar. Ele está conosco ! SE você ainda não passou nenhuma tempestade, glorifique a Deus ! Mas, se estiver na tempestade, não tente vencê-la sozinho, pela sua força...Reconheça que Jesus está no barco e peça ajuda a Ele ! Mesmo que pareça que Jesus não está te escutando, somente Ele pode acalmar a tempestade de nossas vidas. Em Mateus 11 : 28-30 está escrito que : “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve “ . Se você estiver no meio da tempestade, não temas ! Mesmo que você se sinta fraco e angustiado para vencê-la , o Senhor quer aliviar seu fardo. Partilhe com Jesus sua dor , o medo , a insegurança e as preocupações e em Seu Nome você receberá paz e alivio. O Senhor diz no livro de Filipenses : “ O Meu Deus , segundo a sua riqueza em glória, há de suprir, em Cristo Jesus, cada uma de vossas necessidades “ . Creia de em seu coração que assim como veio a bonança sobre os discípulos, Ele fará o mesmo contigo ! Receba esta mensagem em seu espírito e tenha fé de que Deus vai acalmar os ventos da sua vida ! Abençoe outras vidas, por favor repasse está mensagem para o maior numero possivel de pessoas Com carinho e amor

domingo, 4 de setembro de 2011

A cabou a festa

EvangelisticaMuitas são as pessoas que, apesar de crerem em Deus e até fazerem parte de uma denominação religiosa, se encontram envolvidas pelo espírito da "festa".

Quantas são as que baseiam a sua fé em emoções, música, mensagens eloquentes ou amizades com outros "irmãos"? Pessoas que ao ouvir uma música linda choram e dizem: "Deus está comigo!".

Infelizmente, essas são as mesmas que, no dia dos problemas ou em que falta a emoção, negam a fé e dizem coisas, como: "Deus não existe", "Deus abandonou-me" ou "a igreja está fraca, pois não senti nada hoje".

Tal fé não tem poder para salvar. E por quê? Porque não tem qualidade. E não tem qualidade porque é baseada nas emoções.

No último dia da festa, Jesus se levantou e convidou os que tinham sede a virem até Ele e beberem. Enquanto a pessoa se mantém envolvida pela "festa", ela não consegue dar-se conta de que está sedenta, pois, na realidade, está embriagada pelas emoções.

Quando a pessoa rejeita as emoções e as coloca de lado, trocando-as pela razão, baseada na Palavra de Deus, o Espírito Santo a envolve, fazendo jorrar no seu interior a água viva.

Só que a água viva não é para todos. Não é para os que querem sentir. Não é para os que querem ver. Não é para os que querem emoções.

A água viva é somente para os que creem como diz a ESCRITURA!

É verdade que, quando Jesus disse isso, não foram todos que se alegraram. Uns O reconheceram como um profeta, outros como o Salvador. Porém, outros queriam matá-Lo!

Isso se repete nos nossos dias. Quando a Palavra é anunciada, uns a ouvem como algo interessante, outros se baseiam nela para tomar as suas decisões. Outros tentam calar os que a anunciam.

No entanto, somente os que se lançam sobre a Palavra (praticando o escrito), abandonando a festa das emoções, alcançam a verdadeira vida.

Esses provocam a verdadeira festa: a festa no Céu.
João 7.34-53

Bispo Júlio Freitas

publicado por ev charles

o tempo é seu inimigo

Se há uma raiz ruim em sua vida, então o tempo é seu inimigo, não seu amigo.

Eu ouço as pessoas dizerem muito: "Deixe passar um tempo, as coisas vão melhorar."

Eu acho que quando elas dizem isso, o que elas realmente querem dizer é: “Eu não sei como resolver isso. Para ser honesto, eu não quero abrir essa lata de minhocas... Talvez se eu deixar como está não vai piorar."

Além disso, uma raiz nunca para de crescer. O tempo só faz a raiz mais forte, mais profunda e mais resistente.

Você tem ignorado um problema, querendo e fingindo que ele não está lá?

Você evita pensar no assunto, com medo de que, se mexer, possa ficar ainda pior?

Saiba o seguinte: A cada tique-taque do relógio, a raiz má continua crescendo e se tornando mais difícil de ser cortada.

O melhor momento para lidar com uma raiz ruim é, e sempre será, agora.

Bispo Renato Cardoso

publicado . por charles
Evangelistica

O DIZIMISTA john d. rockefeller

O primeiro bilionário dos EUA disse uma vez numa entrevista:

“Sim, eu dou o dízimo, e gostaria de lhe contar como tudo começou.
Desde criança eu tive que começar a trabalhar para ajudar a minha mãe. Meu primeiro salário era 1,50 dólares por semana.
Depois da primeira semana de trabalho, cheguei em casa com 1,50. Minha mãe, colocando o dinheiro no seu colo, disse-me que ela ficaria muito feliz se eu desse a décima parte daquele dinheiro para o Senhor.
Eu o fiz e, a partir daquela semana, até hoje eu tenho dizimado cada dólar que Deus me confiou.
E eu quero dizer, se eu não tivesse dado o dízimo do primeiro dólar que eu ganhei eu não teria dado o dízimo do primeiro milhão de dólares que eu ganhei.
Diga aos seus leitores que ensinem as crianças a dar o dízimo, e eles vão crescer e ser administradores fiéis do Senhor.”

Ele começou a dar o dízimo ainda quando criança, e se tornou um dos homens mais ricos da história da humanidade através da indústria do petróleo. Ele veio de uma família pobre, e de um pai ausente. Mas a sua mãe o ensinou a lançar uma raiz de fidelidade que, ainda hoje, traz prosperidade para a família Rockefeller (a fortuna dele, em 1937, quando morreu, era de 760 bilhões de dólares. Ajustados para os dias de hoje, isso é mais que 12 vezes a fortuna de Bill Gates).

Ser fiel no pouco é uma prova de caráter. Antes de dar muito a alguém, você prova o caráter daquela pessoa observando o seu comportamento no pouco.

Assim como Deus deu o petróleo para Rockefeller, Ele quer dar fontes de riquezas para os seus filhos. Há muitos tesouros ainda a serem descobertos, ideias milionárias, oportunidades...
Mas, é claro, Deus os dará aos fiéis e diligentes.


Evangelistica