quarta-feira, 14 de setembro de 2011

A ESCALADA

Evangelistica, A escalada

Minhas filhas e eu resolvemos escalar um muro um monte artificial para escaladas. Muro é feito de madeira, com fendas em alguns pontos, como as das rochas, por questões de segurança, o escalador usa um cinto de proteção. O cinto é ligado a uma corda que passa por uma roldana no alto, e depois desce até as mãos de um guia que a segura enquanto o escalador sobe.

Resolvi tentar. O que é um muro de quinze metros para uma pessoa de meia-idade? Fiz um positivo com o dedão para o guia e comecei. Na primeira metade da viagem, fui bem. Mas lá pelo meio, comecei a ficar cansado. Minhas mãos e pés não estão acostumados a escalar. Faltando uns seis metros, comecei a duvidar honestamente que conseguisse. Pensei seriamente em pedir que o guia me içasse para completar o trecho que faltava. Meus dedos estavam machucados, minhas pernas começavam a tremer e eu me arrependia de cada sanduíche que tinha comido, mas a idéia de me render desapareceu nos sorrisos de minhas filhas que já estavam lá em cima.

- Vamos papai, você vai conseguir.

Dei então tudo o que tinha, mas tudo o que tinha não era suficiente, meus pés e minhas mãos escorregaram e eu caí, mas não por muito tempo. Meu instrutor estava firme, segurando a corda.

Ele estava alerta e era forte, então minha queda só durou alguns segundos e eu balançava preso ao cinto, suspenso no ar. Sabe o que eu fiz quando cheguei ao topo?Acha que me vangloriei por ter vencido o muro? Fiz a única coisa certa: disse, obrigado a pessoa que me segurou. Ah! Se todas as minhas quedas fossem tão simples, tão breves, tão inconseqüentes, mas não são, houve ocasiões em que meus dedos escorregaram das próprias rochas da verdade que tenho por tesouros e nem posso dizer quantas vezes eu esperava chegar ao topo e me vi dependurado no ar, seguro por um par de mãos rasgadas pelos cravos.

- Tente de novo – incentiva Ele,- e eu recomeço.

Nós estamos numa grande escalada. O muro é alto e as estacas, mais altas ainda. Você deu o primeiro passo no dia em que deixou Jesus tomar posse da sua vida. Ele lhe deu o cinto de segurança (o Espírito Santo); em suas mãos, Ele colocou uma corda (Sua Palavra).

Seus passos foram confiantes e fortes, mas com a jornada veio o cansaço e com a altura o medo. Você pisou em falso, perdeu o alvo, o controle e caiu. Por um momento que pareceu durar eternamente. Mas então a corda se esticou e você parou de girar.

Ficou pendurado pelo cinto e descobriu que Ele é forte, agarrou-se a corda e descobriu que era de confiança. Olhou para cima e descobriu JESUS segurando a sua alma e seu coração. Mesmo que as dificuldades sejam cruciantes, não desista. Se o mundo vier te oferecendo ou jogando contra você todas as pedras existentes pelo caminho, não desista, olhe ao seu lado e veja Jesus caminhando contigo.

Quando queremos de verdade ouvir Deus, percebemos que Ele nos fala a cada momento de nossas vidas. Essa historinha nos conta um simples episódio humano, mas nele, o seu personagem conseguiu ler nas entrelinhas a amorosa ação da Trindade em sua vida. Certamente, poucos de nós seríamos o personagem dessa historinha, mas podemos compreender que a ação amorosa de Deus ao nosso lado acontece da mesma forma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário